segunda-feira, 10 de agosto de 2009

(Sati - pra você, que me inspira, um pouquinho mim...)


Quero entender
o silêncio que habita de repente
e trava o caminhar
Tu tão distante
Eu tão constante
como a chuva que cai


Mais um dia se vai
O bolso vazio
A alma repleta de aromas
poemas, choro e riso
Esperando acolhedor sorriso


Esperando o sinal
Pois ando vivendo de sinais.
Gestos doces e afáveis
Como este que esculpes.

Um comentário:

Ushas disse...

Ela é pequena e e deixa fermentando muitas coisas lá dentro, um dia resolve por pra fora e nos mostra coisas tão profundas e poderosas.
Mas as vezes ela guarda td pra ela ou esquece de mostrar. Daí é só dar uma cutucada aqui outra lá que ela transborda essa Clélia td.

Linkwith

Related Posts with Thumbnails