segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Sabe o que eu acho disso?

A vida que pulsa na cidade, no poeta, em Mariana e Francisco é a vida de esperanças que constrói, contida em cada ser humano. São diversos cotidianos. É vontade de potência, de busca e de sonhos. Um ser sempre é uma vida, não importa como seja, sendo vida, inevitavelmente, essa será vivida. 
Como serão aproveitados os minutos de vida? Depende de como nós seres humanos estamos impulsionando nossos anceios e desejos. O que significa estar vivo? Sendo parte de mim e de outros. Interfiro no mundo e como ele consegue me tocar....

4 comentários:

Kaos Z disse...

poxa, que louco...

vou deixar uma aqui que eu li do Rota Rota do Jair de Santos Freitas

Kaos Z disse...

e nós que nos amamos a mim mesmo
seremos sempre eu tu nós vós outros
somente na paixão e no egoísmo?

ou seremos nós quem sabe um pouco
de cada um de mim por sua vez
enquanto nos julguemos refletidos

ou

seremos nós quem sabe um pouco de cada um dos outros cada vez
em que me surpreendas refletindo?

Kaos Z disse...

sou como serei
o centro de mim mesmo de outro ângulo
e a mim mesmo dispenso minhas atenções
e a mim mesmo amo
como se espreitasse a humanidade.

inda(va)gando
1977

Cléo disse...

tks baby xD

Linkwith

Related Posts with Thumbnails