quinta-feira, 11 de março de 2010

Ser Árvore!

          Dedico essa imagem ao Bosque Fractal!

 A Lenda de Alraune

A base para a história de Alraune data da Idade Média alemã. A raiz da mandrágora , que possui um formato vagamente humanóide, era creditada pelos alquimistas como sendo produzida pela ação sobre a terra do esperma de enforcados, que ejaculavam ao terem seus pescoços quebrados. A própria raiz era utilizada em filtros e poções de amor, enquanto que seus frutos supostamente facilitavam a gravidez. De bruxas que faziam sexo com a raiz de mandrágora, dizia-se serem capaz de gerar prole, todavia, sem sentimentos, capacidade de amar ou alma.

Alraune (mandrágora em alemão) é o nome dado a uma personagem feminina lendária, retratada em filmes do expressionismo alemão.

O escritor alemão Hanns Heinz Ewers publicou um romance intitulado Alraune em 1911. O romance diverge do mito concentrando-se nas questões de inseminação artificial e individualidade: genética versus ambiente. Um cientista, o Professor Jakob ten Brinken, interessado nas leis da hereditariedade, fecunda uma prostituta em laboratório com o sêmen de um enforcado. A prostituta concebe uma criança que não possui o conceito de amor, a qual o professor adota. A garota Alraune sofre com obsessões sexuais e relacionamentos pervertidos por toda sua vida. Ao descobrir sua origem artificial, ela se vinga do cientista, seu "pai".

O romance era muito popular durante os primeiros anos da II Guerra Mundial: soldados alemães foram capturados com cópias dele. Foram feitos alguns filmes baseados na lenda e no romance Alraune.

4 comentários:

Bosque Fractal disse...

Só alegria!

Ushas disse...

me identifiquei

Kaos Z disse...

entonces, recortei da capa de um disco de uma banda alemã chamada Gäa - Alraunes Aptraum de 1975

o Gäa como Gaia - e Alraunes Aptraum algo como O Pesadelo da Mandrágora

A Lenda de Alraune

A base para a história de Alraune data da Idade Média alemã. A raiz da mandrágora , que possui um formato vagamente humanóide, era creditada pelos alquimistas como sendo produzida pela ação sobre a terra do esperma de enforcados, que ejaculavam ao terem seus pescoços quebrados. A própria raiz era utilizada em filtros e poções de amor, enquanto que seus frutos supostamente facilitavam a gravidez. De bruxas que faziam sexo com a raiz de mandrágora, dizia-se serem capaz de gerar prole, todavia, sem sentimentos, capacidade de amar ou alma.

Alraune (mandrágora em alemão) é o nome dado a uma personagem feminina lendária, retratada em filmes do expressionismo alemão.

O escritor alemão Hanns Heinz Ewers publicou um romance intitulado Alraune em 1911. O romance diverge do mito concentrando-se nas questões de inseminação artificial e individualidade: genética versus ambiente. Um cientista, o Professor Jakob ten Brinken, interessado nas leis da hereditariedade, fecunda uma prostituta em laboratório com o sêmen de um enforcado. A prostituta concebe uma criança que não possui o conceito de amor, a qual o professor adota. A garota Alraune sofre com obsessões sexuais e relacionamentos pervertidos por toda sua vida. Ao descobrir sua origem artificial, ela se vinga do cientista, seu "pai".

O romance era muito popular durante os primeiros anos da II Guerra Mundial: soldados alemães foram capturados com cópias dele. Foram feitos alguns filmes baseados na lenda e no romance Alraune.

link para o disco

http://www.megaupload.com/?d=DYF0IJK2

Grandona disse...

Driades ,tb amuu muito....seres elementares de gde forca.....axe

Linkwith

Related Posts with Thumbnails