segunda-feira, 7 de junho de 2010

(in)satisfação



Tanta palavra para dizer e que não digo
Tanto livro para ler e que não leio,
Tanta esperança para dar e que não dou

Tanta coisa, natureza, tanta coisa,
Tu puseste em mim para fazer e que não faço
Tanta flor para semear que não semeio
Tanta gente para abraçar que não abraço
Quero, crio e sonho
Mas a vontade não acompanha o pensamento.
Tanta noite para amar e que não amo,
Tanta coisa para saber e que não sei
Tanta desculpa de que nunca tenho tempo

Dá mais força às minhas mãos, ó natureza,
Há tanta história para escrever e que não escrevo,
Tanta ideia a defender que não defendo,
Tanto lugar para visitar que não visito.

Iguala as minhas mãos ao pensamento,
Torna a minha vontade mais veloz.
E tu verás, natureza, como consigo
Amar o meu amor como não amo,
Ler todos os livros que não leio
E dizer as palavras que não digo.


Fina D'Armada

3 comentários:

Azia e Insônia disse...

Muito bom. Acredito que o primeiro passo é reconhecer. Seguir, é preciso força. É difícil... :/ Mas temos que tentar.

:*

Ushas disse...

nossaaa estou euuu

Vanessa disse...

Muito bom!
Abraço forte!

Linkwith

Related Posts with Thumbnails